Paulo Faustino Do EscolaDinheiro.com


No teu perfil no Linkedin, escreves que és gerente da Web Industries e que trabalhas na criação de sites, blogs, lojas de comércio electrónico, seo e marketing. Numa entrevista à MestreSEO, dissestes que eras um “canivete suiço” e que fazias um pouco de tudo.

Quando preenches um formulário para abrir uma conta bancária, o que é que escreves no campo Profissão? Em Portugal, existe a profissão de blogger? É possível ser um blogger em regime de exclusividade?

Olá Rui, antes de mais obrigado pelo convite para esta entrevista. De facto considero-me um pouco um canivete suiço, e orgulho-me de ter aprendido praticamente tudo o que sei de uma forma auto-didacta. Tendo em conta que estou colectado nas finanças como trabalhador por conta própria, normalmente preencho o campo da profissão como Empresário ou Empresário em Nome Individual.

Em Portugal já é possível ser-se um blogueiro, mas ainda não existe um código de actividade económica para a profissão. Existirá sempre a necessidade de tentar algo aproximado à realidade. Acredito que isso poderá mudar num futuro muito próximo, especialmente e tendo em conta que nos Estados Unidos ser-se blogueiro é já hoje uma profissão, e existem milhares de empresas a pedir blogueiros profissionais para tratarem da alimentação e autoria dos seus projectos. Um blog é hoje, mais que nunca, um modelo de negócio.

Eu tenho inveja de quem vive numa aldeia, no meio da natureza, próxima duma cidade onde exista uma FNAC ou uma Worten, mas suficientemente longe da poluição, do trânsito, dos vizinhos surrogates que balbuciam bom dia. Gostas de viver em Leiria? Quais são para ti as vantagens e desvantagens de viver numa cidade mais pequena? Vives num apartamento ou numa vivenda? Se pudesses escolher o teu local de sonho para viver, escolhias Leiria? Ou optavas por uma cidade mais cosmopolita como Londres ou Nova Iorque?

De facto, sou um apaixonado por Leiria. Adoro a cidade, adoro o ambiente e adoro as pessoas (algumas). Embora viva numa aldeia a 3km da cidade, sou particularmente apaixonado pela cidade e não propriamente pelo campo. Embora goste de ambas. A grande vantagem de viver numa cidade relativamente mais pequena prende-se com o ambiente. Existe menos trânsito, é possível atravessar a cidade toda em 10 minutos (ou menos) e existe um grande à vontade quando se passeia na rua, tanto de dia quanto de noite.

Neste momento vivo numa vivenda, e sinceramente não me imagino a viver numa outra cidade neste momento da minha vida. Tenho as minhas raízes e a minha felicidade aqui também, pelo que não faz sentido neste momento equacionar uma emigração. No entanto, a sair, gostaria imenso de viver na Australia. Gosto particularmente de Camberra e Sydney.

Ainda és estudante de Engenharia Informática? A maioria dos teus colegas pede dinheiro aos pais para sair à noite. E vivem com um orçamento pessoal limitado à mesada que recebem. Achas que a internet é um meio de liberdade e de antecipação para pessoas mais jovens, que conseguem uma autonomia financeira mais cedo? E como é que te relacionas com os teus colegas de curso? Eles sabem que ganhas dinheiro online? Esse estatuto ajuda-te no teu relacionamento com as tuAs colegAs? Como é que arranjas tempo para estudar?

Entrei para Engenharia Informática este ano. Embora já tivesse estado na faculdade durante dois anos, tive de interromper o desafio por falta de tempo, numa altura em que comecei a dirigir uma empresa na área da informática. Entretanto decidi que era altura de recomeçar o sonho, embora o único objectivo seja mesmo a aprendizagem e o desafio pessoal. Ser engenheiro ou não ser para mim não muda nada, tanto em termos pessoais como profissionais.

Acredito sim que a Internet é uma plataforma que permite aos jovens de hoje ganharem dinheiro e talvez conseguirem a sua independência um pouco mais cedo. No entanto, é necessário ter maturidade e inteligência para se fazer as coisas com pés e cabeça, caso contrário as oportunidades perdem-se e a imagem também.

O meu relacionamento com colegas de curso é perfeitamente normal. Apenas dois ou três sabem que sou blogueiro profissional e sinceramente também não procuro qualquer tipo de estatuto, muito menos junto do meio de feminino. Essa parte da minha vida também está devidamente cimentada.

Relativamente ao tempo para estudar, é de facto a maior adversidade deste sonho. Com a exigência que a Internet que me coloca neste momento, com a necessidade de actualizar os blogs, de responder às centenas de emails e de ainda realizar outros tipos de trabalhos, fica complicado conseguir tempo para tudo. No entanto, o primordial na minha opinião é conseguir estar presente na aulas de corpo e alma, assimilar o máximo de matéria e a sua génese, e posteriormente aplicá-la nos exames. O estudo apenas uma forma de prática e memória, pelo que se conseguir antecipar isso, é possível ter sucesso.


Um dos meus interesses é a consciência humana, na perspectiva de responder à pergunta “quem sou eu?” ou “quem somos?” e há um conjunto de temas associados, como a neurologia, a física quântica, a evolução, a cosmologia, a religião, etc pelos quais tenho uma obsessão. Achas que eu poderia tornar-me um blogger profissional a escrever sobre esses temas? Porque gosto muito dos temas. Porque leio muito sobre esses temas. Porque teria sempre interesse em escrever sobre esses temas. Ou achas que é necessário efectuar uma análise prévia ao volume de tráfego potencial duma determinada área temática e ao valor económico desse tráfego?

Há um método para começar uma caminhada até ao ponto de chegada chamado problogger? Ou achas que há vários caminhos e nem sempre o caminho mais percorrido é o caminho mais indicado para todas as pessoas?

Eu acredito que nos dias de hoje é possível ser-se um blogueiro profissional em praticamente todas as áreas de negócio. Existe mercado e interesse globalizado, e com mais de 50 milhões de internautas a ler e a consumir conteúdos em português, existe uma abrangência enorme de áreas e interesses.

A análise de mercado é importante do ponto de vista económico, mas não é o mais importante na minha opinião. Embora o seja relativamente ao potencial de tráfego, interesse e rendibilidade, existem múltiplas formas de rentabilização indirecta, nomeadamente a consultoria, as palestras, a criação de produtos ou serviços, e por aí adiante.

Existe de facto uma caminhada relativamente estratégica quanto à caminhada para o “problogging”. É necessário ter métodos de trabalho, organização, um esquema editorial de qualidade e acima de tudo conhecimento. Embora não existam fórmulas infalíveis, todos os probloggers têm em comum a capacidade de sacrifício e trabalho. No entanto, isso reflecte precisamente o facto de existirem várias abordagens diferentes. Tanto pode ser um problogger aquele indivíduo que escrevia 10 artigos por semana e fazia um enorme trabalho de marketing, como o indivíduo do lado que escrevia 3 vezes por semana mas com um impacto gigantesco. Como referi, não existem fórmulas infalíveis. Existem métodos de trabalho.


Li nalgumas entrevistas que destes que começastes a gerir uma loja de comércio electrónico na área do material informático e que depois começastes com uns sites com adense e alguns programas de afiliados. Obviamente não aprendestes isto no curso de Engenharia Informática. Os teus professores ensinam coisas interessantes, mas não ensinam a ficar rico. Onde é que primeiro contactastes com as ideias de rentabilizar um site com adsense e programas de afiliados?

Há muitas pessoas a tentarem ganhar dinheiro online exclusivamente com adsense. Achas que é um bom ponto de partida? Ou és da opinião que é necessário desde o início trabalhar outras fontes de rendimento, como os programas de afiliados, os serviços e produtos próprios, a publicidade directa? Há uma espécie de escada? O primeiro passo é começar com adsense. Depois aprender a rentabilizar programas de afiliados. E continuar a subir a escada até vender produtos e serviços próprios.

Comecei na área da rentabilização a consumir blogs americanos, principalmente o Problogger, John Chow e ShoeMoney. Foi aí que começou o meu interesse em aprofundar a área, assimilar mais informação e procurar o conhecimento.

Acredito que é possível viver de uma rentabilização exclusiva com Adsense, embora não considere essa opção para mim. Como costumo referir nos meus artigos, não faz sentido algum estar dependente apenas de um programa de monetização. Se existem vários, porque não diversificar e alargar o leque de monetização? Isto significa, obviamente, que sou totalmente de acordo com um método de monetização variada, desde o primeiro dia.

A ideia da escada provavelmente até faz algum sentido. Os programas de afiliados ainda não são utilizados em tão grande escala como provavelmente o Adsense. São também relativamente mais complexos e/ou estranhos para a grande maioria dos potenciais blogueiros. Mas acredito que exista uma escada, mas não necessariamente por causa do efeito monetização. Existe uma escada porque determinadas formas de rentabilização só se efectivam quando se começam a subir escadas. O Adsense é rentável desde o primeiro dia de um blog, enquanto que os programas de afiliados já requerem um pouco mais de tráfego, e a venda de produtos ou serviços já requer uma audiência específica, que só é construída com vários meses de trabalho contínuo.

Vejo que tens um media kit no teu blog. Achas que é possível ganhar bom dinheiro com a publicidade directa sem andar a correr atrás dos anunciantes? Eu vejo por exemplo uma revista de papel a cobrar preços exorbitantes por um anúncio. Mas, são empresas com vendedores, que são autênticas melgas. Quando ferram, não largam mais. Procuras activamente anunciantes?

O Midia Kit infelizmente ainda não está disponível para download porque ainda não houve tempo para combater todas as frentes. Com o lançamento do nosso Livro de Exercícios para Blogueiros ficou complicado conseguir realizar todas as tarefas em simultâneo. Mas concordo sim, que é possível ganhar dinheiro com a comercialização de publicidade num blog, sem que seja necessário correr atrás dos anunciantes.

Nós somos a prova viva disso. Nunca, em dois anos de vida do blog, alguém recebeu um email nosso a propor a ocupação de espaços publicitários. São os anunciantes que nos contactam interessados na aquisição dos espaços que temos para venda e nunca o contrário. Não porque não nos interesse, mas porque damos bastante valor à integridade da nossa marca e da nossa imagem. Precisamente pela imagem que passou dos vendedores. Essa é a imagem que desejamos que ninguém tenha de nós.

Mudastes o domínio no teu blog e consequentemente a própria mensagem. Estás a ponderar passar dum blog que publica conteúdos grátis e que é rentabilzado com adsense, publicidade directa, programas de afiliados, para um blog onde prestas serviços pagos de coaching ou onde eventualmente vais também vender produtos próprios?

A mudança de domínio, imagem e mensagem tem precisamente a ver com o impacto que desejamos ter. Nunca desejámos deixar de produzir conteúdo gratuito para os nossos leitores e procurar uma rendibilidade através dos programas disponíveis no mercado. Isso é certo que será sempre o nosso principal veículo de comunicação. No entanto, sabíamos que a mudança de imagem nos abriria portas para muitas outras coisas.

Estávamos limitados em termos visuais e profissionais com o antigo nome e com a antiga imagem. Era demasiado informal, pouco profissional e até algo sensacionalista. E a aposta na mudança foi ganha. Ganhámos maior protagonismo, o nosso tráfego subiu cerca de 20% instantaneamente, passámos a ser contactados para palestras (demos uma em Março e temos duas agendadas para Abril e Maio), e passámos a ser vistos um pouco além do blog. Isso deu-nos também confiança para introduzirmos novas formas de rentabilização, e foi precisamente por aí que decidimos lançar o nosso primeiro Livro, o qual felizmente tem sido um sucesso tremendo.

Vejo muitos probloggers ou probloggers jr a promover o email marketing e com links de afiliados para o aweber. Vou-te fazer uma pergunta muito franca. Subscrevo algumas dessas newsletters desses mesmos probloggers e não vejo uma dinâmica que permita uma rentabilização substantiva da newsletter. Por acaso, acho que não subscrevo a tua newsletter. Achas que é ético ganhar dinheiro a promover a aweber sem ter ganho antes alguns tostões a utilizar o aweber? Não estou a opinar sobre o assunto. Apenas a perguntar.

A Aweber tem de facto qualidades emergentes e é um dos melhores /auto responders/ do mercado, essencialmente e por culpa do seu fantástico sistema de tracking estatístico. No entanto acredito que embora seja passível de ser recomendável, a recomendação funciona melhor quando o blogueiro apresenta experiências reais e concretas que por ventura tenha realizado. Quando se apresentam dados de utilização, a recomendação traduz-se em maiores conversões. Embora recomende como opção de escolha a Aweber, não a utilizo na Escola Dinheiro e também nunca escrevi nenhum artigo extensivo sobre a mesma.

Quanto à rendibilidade de uma newsletter, ela funciona mas em casos muito específicos. As newsletters além de serem uma excelente forma de direccionar tráfego específico, são uma excelente forma de aumentar as taxas de conversão de programas de afiliados específicos, e também um excelente canal de vendas para quem tem Livros ou Serviços para venda.

Que bloggers portugueses é que lês? Em geral e especificamente na area do ganhar dinheiro online? E estrangeiros?

Eu leio muito, mas infelizmente o Português não é bem a minha área. Como procuro antecipar-me a determinadas situações, gosto bastante mais de ler blogs Americanos ou Australianos. Não só por estarem na vanguarda de praticamente tudo, mas também pelo facto de serem bastante mais técnicos e explicativos. No meu Google Reader tenho mais de 600 blogs subscritos,
mas infelizmente não tenho conseguido ler nada. Com os exames da faculdade e a quantidade de trabalho que a Escola Dinheiro exige, torna-se muito difícil conseguir ler blogs. Ainda assim, tento acompanhar minimamente a rede da Envato, com a qual me identifico imenso, e ainda alguns blogs como o do Yaro Starak e Copyblogger.

Tens heróis? Pessoas que admires, por causa daquilo que te ensinaram ou por causa da vida que viveram? Há pessoas que admiram um Gandhi. Eu, por exemplo, tenho uma profunda admiração pelo David Bohm, um físico que já faleceu. Devo-lhe as ideias que tenho sobre física quântica. E, quando era míúdo, Jesus Cristo era o meu herói. E o meu pai e a minha mãe não precisam de ser heróis. Já são muito mais do que heróis. Quem são os teus heróis?

Sou pouco ligado à admiração pelos outros do ponto de vista do herói. Gosto bastante de admirar o trabalho e as conquistas de determinados profissionais, e identifico-me bastante com os modelos impostos por alguns deles, mas dificilmente os considerarei heróis. Acho a idolatração um pouco exagerada.

Ainda assim, identifico-me imenso com o Darren Rowse do Problogger, não só pelas semelhanças em termos de percurso na blogosfera, mas também pela admiração que tenho pela sua pessoa e pelas suas conquistas.

Fora da Internet identifico-me imenso com o José Mourinho, o qual já tive a oportunidade de analisar bem de perto quando treinou a União de Leiria. Admiro-o não só pelas conquistas, mas acima de tudo pela sua metodologia de trabalho e treino. É um organizador táctico por excelência, e também um dos profissionais de desporto mais inteligentes do momento, na minha opinião.

O que é que querias ser quando eras criança? Bombeiro, polícia, médico? Achas que a tua profissão actual é mais satisfatória do que a profissão que querias ser quando eras um menino?

Quando era pequeno lembro-me de dizer que queria ser construtor. O meu irmão era muito bom enquanto desenhador, tinha jeito para os desenhos, e então eu dizia que quando fôssemos grandes, ele desenhava e eu construía.

De facto aquilo que é hoje a minha profissão, e ao contrário do que se possa pensar numa primeira análise, é fruto da minha persistência, modéstia à parte. Comecei a trabalhar aos 17 anos em fabrico de moldes para plásticos. Em pouco mais de 3 anos tive 7 empregos diferentes. Saltei as empresas de moldes para as empresas de informática, depois saltei das empresas de informática para um projecto aliciante de criação e gestão de uma empresa própria de informática, e em Agosto de 2007 deixei a empresa para trabalhar a tempo inteiro na Internet. Lutei,
sofri e dediquei-me aquilo que considerei ser o estilo de vida perfeito para mim. Isenção de horário, métodos de trabalho, escrever e ensinar aquilo que mais gosto, e hoje sinto-me completamente realizado no âmbito profissional e relativamente às actividades que faço online e offline.

Paulo Faustino do escoladinheiro.com

O que é que fazes quando passas pela porta do supermercado e encontras lá uma pessoa com uma deficiência a pedir dinheiro? Que papel é que atribuis ao Estado em termos sociais? Desconfias das organizações sem fins lucrativos? Às vezes, apercebo-me que não publicam as contas online e os cargos nessas associações são muito bem remunerados. Às vezes, interrogo-me: em cada 1 Eur que damos para caridade, nestas organizações bem intencionadas, quantos cêntimos é que acabam nas mãos de quem precisa? Costumas ser selectivo na ajuda que dás? Ou o simples facto de teres dado a alguma organização qualquer já te alivia o dever social?

Acredito que exista dever social ou pelo menos aquilo a que chamo o respeito cívico. Deve-se sempre respeitar o próximo e de tempos a tempos tenho também os meus momentos de solidariedade. Não costumo fechar os olhos a pedintes ou pobres, como também não fecho a idosos que necessitem de uma simples ajuda para atravessar a estrada ou subir um passeio.

No entanto não faço análises ao comportamento das instituições sem fins lucrativos. De facto existem imensas instituições e associações que não são transparentes, e é verdade que também não concordo com alguns dos cargos vigentes na grande maioria delas, mas isso é um problema que me ultrapassa e para qual a impotência é uma palavra-chave. Cabe-me manter o meu dever cívico e respeito pelo próximo, e deixar esse tipo de diligências para quem entende delas.

Gostavas de participar num projecto social para ensinar o que tu sabes aos miúdos pobres que vivem em bairros degradados e onde as oportunidades de trabalho são poucas e muito difíceis?

Com a mudança de estratégia que implementámos este ano, temos vindo a ser contactos no sentido de ajudar algumas coisas, seja através da formação e/ou da ministração de palestras, e obviamente que tentamos sempre enquadrar tudo na nossa agenda e naquilo que nos é possível fazer pela sociedade. Tanto aceitamos um convite para dar uma palestra numa feira de marketing internacional, como aceitamos dar outra num colégio de ensino secundário para jovens de 14 e 15 anos.

A ideia de ajudar-mos crianças de bairros degradados é interessante e obviamente mexe connosco, mas também capacidade de discernir que dificilmente lhe conseguiríamos transmitir aquilo que sabemos no que toca à Internet e à blogosfera. Esses miúdos precisam primeiro de iniciar um contacto com a sociedade moderna, com os meios de comunicação e com a tecnologia, e só depois é que poderíamos de alguma forma orientá-los para uma tentativa de criação de modelos de negócio. Mas acredito que se fôssemos convidados para um projecto devidamente
estruturado e competente, certamente nos adaptaríamos às condições e tentaríamos dar-lhes aquilo que na verdade eles necessitam: uma orientação para o futuro.

Foi uma entrevista fascinante com uma pessoa que é um dos pioneiros no blogging profissional em Portugal. Já subscrevi o RSS feed do blog do Paulo Faustino. E confesso que serei um leitor atendo do que ele e a Regina Santana escreverem.

Be Sociable, Share!

17 Comentários

  1. Olá Rui,

    Antes de mais obrigado pelo convite em participar dessa entrevista. De facto ficou muito interessante e foi bastante pertinente em alguns momentos. Gostei bastante, diverti-me imenso ao responder-lhe e espero que seja de alguma forma, uma motivação extra para todos aqueles que desejam fazer da Internet o seu modelo de negócio futuro.

    Forte Abraço
    PF

    • Olá Paulo!

      Eu gosto de entrevistas, mais até do que escrever artigos. A vida é mais rica quando estamos a comunicar com alguém e um artigo em um monólogo. É verdade que pode gerar depois debate. Mas, a entrevista tem uma dialéctica que a torna, pelo menos para mim, mais interessante, embora eu também goste muito de escrever artigos.

      No teu caso, agradeço o tempo que dedicastes à entrevista. Acho que o resultado final foi excelente. E espero que ajude a esclarecer melhor o mundo sobre quem é o Paulo Faustino. Ok, já todos sabemos que percebes de blogging e de ganhar dinheiro online. Mas, para além do profissional, também és uma pessoa. E o teu público e até o público do nosso blog gosta de saber algumas coisas de carácter pessoal relativamente a alguém que é tão conhecido como tu.

      E também desejo que sirva de inspiração a quem queira ganhar dinheiro online, seja a tempo inteiro, seja como um meio para complementar o ordenado. É preciso ler e aprender. Mas, acho que muitas pessoas param nesse ponto. É preciso também coragem e acção! Quem tentar, que seja feliz!

      Abraço

      Rui Soares

  2. Já sigo o blog do Paulo há algum tempo, e tenho aprendido muito ao ler os artigos dele. Encontrei esta entrevista através do dihitt e resolvi vir ler.
    Abraço e sucesso para o webmaster.

    • Olá Carlos! Espero que tenha gostado também do nosso blog… :) O Paulo publica artigo 5 estrelas. Abraço e obrigado pelo comentário.

    • Olá Carlos, muito obrigado pelo comentário e pelas palavras motivadoras. Fico contente que continue aprendendo e desenvolvendo a sua prática profissional através dos artigos da Escola Dinheiro. Agora também já pode fazer o mesmo com o Webmaster.pt :D

      • Olá Paulo! Gostei de te conhecer melhor através da entrevista. E acho que os leitores também apreciaram a entrevista. Mais uma vez agradeço a tua disponibilidade! Um Abraço Rui Soares

  3. Olá Rui!
    Que sensacional morar em uma cidade pequena e perto de uma cidade Grande,não sabia que ele fazia Engenharia da Informatica é um curso se Deus quiser vou fazer.
    Enquanto isso fico a ler seus artigos ED e do webmaster pt para tanto aprimorar a forma de ganhar dinheiro na web como na parte de programação…
    Excelente entrevistas as perguntas foram bem elaboradas.

    Abraço!

    • Olá Rafael. Obrigado pelo seu comentário. Um Abraço Rui Soares

    • Olá Rafael, obrigado pelo comentário. De facto ainda há muita coisa sobre a minha vida pessoal que infelizmente muitos leitores não sabem e que certamente serão um dado curioso. Estou sim a estudar Engenharia Informática, apenas e somente porque necessito de alguns conhecimentos técnicos relativos a programação. Mas se tudo correr bem no próximo ano já terei a bagagem que necessito para continuar a providenciar ferramentas e novidades para todos os fãs da rede Escola Dinheiro :D

  4. Simplesmente D++++.
    O Paulo me parece ser uma pessoa bastante sincera e humana.
    Outra bela entrevista Rui.

    Valeu.

    • Concordo. Gosto de explorar o lado humano. Se alguém quiser saber alguma coisa sobre blogging e como ganhar dinheiro na internet, não precisa de ler uma entrevista dele, basta visitar o site dele… Um Abraço Rui Soares

    • Olá Nilton, obrigado pelo comentário e pelas palavras de apreço relativas à minha pessoa. Considero-me um ser humano como um outro qualquer, com virtudes e defeitos. No entanto fico contente por saber que passo uma imagem de sinceridade e humanismo aos meus leitores e aficionados. Essa será sempre e seguramente a minha postura perante a internet e os negócios. Obrigado :D

  5. Muito boa a entrevista. O mundo dos blogs ainda não é visto como profissão no Brasil, apesar do meu país estar no ranking de um dos países onde mais se tem acesso à internet.
    Acredito que isto seja algo que vá se despertando aos poucos, até que as pessoas tenham consciência da utilidade desta ferramenta.
    Excelente entrevista!

    • Olá Genilda! Obrigado pelo seu comentário. Um blog é essencialmente uma plataforma de comunicação. E, no futuro, continuará a ser utilizada nos tempos livres, por pessoas de diferentes profissões, para exprimirem as suas ideias sobre todos os temas da atualidade. Mas, nos EUA, já há quem utilize um blog a tempo inteiro e com uma perspectiva profissional. E isso começa a acontecer em Portugal e no Brasil. Acho até que no Brasil esse fenômeno está mais avançado, dado que existem já muitas reuniões e até conferências entre bloggers, o que ainda não acontece à mesma dimensão em Portugal. Mudando de assunto, eu sou deísta. Mas, reconheço o papel maravilhoso que Jesus representa na vida de milhões de pessoas. Seja feliz, Genilda. Um Abraço Rui Soares

  6. ronaldo bastos

    olá paulo eu gostaria de ter um blog mais eu nao tenhor praticas eu sempre sonhei em ter um blog que eu posa 
    ganhar uma renda extra no momento eu estou desenpregado mais pretendo em vestir em algo serio onesto e que posa meda um lucro na internet  eu acho que você pode me ajuda . eu garanto que eu vou empenhar o masimo para consegui  

                                                                MUITO OBRIGADO SUSESSO

  7. Muito boa a entrevista! 

    O Paulo tem feito um excelente trabalho na internet!

    Parabéns também ao Rui Soares, pelas suas ótimas perguntas!

    Gostei.
    Abraço e Sucesso :)

  8. Sem dúvidas é um excelente blog que eu acompanho a um bom tempo, obrigado e sucesso!

Participa! Comenta...