Entrevista Com O WebMilionario

Quando é que decidistes ser Engenheiro informático? Que idade é que tinhas? Que factores é que te influenciaram nesse sentido?

Eu acho que sempre soube que ia seguir informática desde que peguei num Spectrum por volta dos 11 anos. Quando chegou a altura de escolher o curso, não tive que pensar no assunto, já estava programado.

Às vezes, apanho um ou outro engenheiro informático que não sabem utilizar um ftp client. O curso de engenharia informática em Portugal é demasiado teórico? Há muitas disciplinas sobre desenvolvimento web?

Eu só conheço um curso de Engenharia Informática em Portugal, que é o do IST, e mesmo esse já deve ter sofrido bastantes alterações. Acredito que toda a teoria que dei no curso me preparou para pegar em qualquer aplicação ou linguagem e aprender rapidamente a utiliza-la na prática. Só assim é que se pode ensinar uma matéria que está em constante evolução. Novas ferramentas e linguagens estão sempre a surgir, é preciso ter conhecimentos teóricos sólidos para conseguir acompanhar.

Além disso “sujei as mãos” em muito trabalhos práticos. Aquilo para que ninguém nos prepara na universidade é para o mercado de trabalho, para as burocracias que envolve, para criar a nossa própria empresa, etc…

E como é que surgiu a ideia de ganhar dinheiro a criar sites? Onde é que aprendestes? Que blogs e/ou fórums é que seguias quando estavas a aprender a ganhar dinheiro na internet?

A ideia de fazer um site surgiu assim que descobri a world wide web, nos primeiros dias no IST. A ideia de ganhar dinheiro com os sites foi surgindo aos poucos, conforme me fui apercebendo das oportunidades. Na altura ninguém tinha blogs, aprendi muito em diversos fóruns de webmasters americanos e à custa da tentativa e erro.

Que bloggers profissionais ainda segues?

Comecei a seguir o Custódio do DinheiroOportunidade.com. Quando decidi que lhe ia fazer concorrência e hoje em dia continuo a segui-lo pela mesma razão mas também porque gosto de acompanhar como é que ele anda a ganhar dinheiro.

Sigo também o Rui Augusto do TolnetWork.com, embora ele escreva poucas vezes e não abra muito o jogo, é um excelente profissional.

Estes 2 são os que trabalham mais próximos da minha realidade e que falam sobre as suas experiências directas. Olhando para o meu Reader, tenho mais uma série de feeds neste
nicho, mas deixo os posts acumularem-se e só leio de tempos a tempos.

Se criares uma empresa no futuro e contratares empregados, vais queres que te tratem como Sr. Eng.? A tua visão duma empresa passa pela existência desse tratamento formal entre as pessoas? Ou preferes uma comunicação menos formal, como por exemplo deve acontecer na Google e noutras empresas que trabalham mais ligadas à internet? Eu já tive preferência por um tratamento informal e hoje tenho uma opinião diferente.

É uma questão interessante, à qual só poderei responder totalmente quando estiver perante a situação. O tratamento não será o mesmo numa micro-empresa criada com mais 2 amigos ou numa multinacional onde esteja a gerir uma equipa de 50 pessoas. Também não espero a mesma linguagem na pausa do café e na reunião com um cliente importante. Sou suficientemente flexível para não exigir esse tipo de tratamento a toda a hora, mas acho que o respeito é muito bonito e os títulos têm o seu valor.

Eu próprio raramente assino como Eng. nos meus emails profissionais, mas quando contacto grandes empresas, pelo menos no primeiro contacto, dou uso ao título.

Li o teu artigo sobre o teu ambiente de trabalho. Recomendas algumas programas para Mac? Não tenho um Mac. Mas, se decidisse comprar um Mac, que programas é que tu achas que eu deveria comprar? Eu não sou capaz de trabalhar com 3 monitores à frente. Tenho vários computadores em casa e no trabalho. E há determinadas tarefas que executo no computador A. E quando quero executar uma tarefa completamente diferente, mudo de gabinete e mudo para o computador B. Há leitores que vão achar muito estranho. Mas, eu tanto posso estar a monitorizar servidores, a gerir uma empresa, a escrever artigos para um blog, a tentar perceber física quântica, a fazer SEO e a promover sites ou ainda a comunicar na REDE com outras pessoas e a divertir-me. E preciso de mudar de ambiente, às vezes até de sistema operativo, para mudar o foco de concentração. Se tentar fazer isso tudo no mesmo sítio, no mesmo computador, não consigo o mesmo nível de produtividade. Achas estranho?

Algum software que tenho neste momento a correr nos meus Macs: Tweetie, Flow, iGTD, MacJournal, Picasa, Adium, Dreamweaver, Fireworks, NeoOffice.

Eu preciso dos 3 monitores exactamente para tentar separar as coisas e executar muitas tarefas ao mesmo tempo. No monitor central, ainda uso vários Spaces (ecrãs virtuais).

Compreendo perfeitamente a necessidade de ter um espaço independente para cada tarefa, ajuda a focar e a resolver um problema de cada vez sem nos sentirmos atolados em trabalho. Se eu abrir num monitor tudo o que vou ter que fazer nesse dia, o mais provável é ficar tão confuso que desisto antes de começar e acabo por não fazer nada.

Os meus 3 monitores não estão ligados ao mesmo computador, são 2+1, portanto eu também separo bastante as tarefas. E ainda tento manter umas coisa de parte no portátil. Como é que é o teu dia de trabalho? Escreves no teu blog que és webmaster profissional desde 2003. Portanto, imagino que trabalhes a tempo inteiro nos teus sites. A que horas é que acordas? Tens um horário fixo para trabalhar? Ou tens um horário mais ou menos livre? Como és dono do teu tempo, tens alguma dificuldade em manter uma certa disciplina de trabalho? Ou até trabalhar mais horas do que devias? Ou passa por fases?

Tem fases. Já me deixei acordar tarde porque saía à noite várias vezes por semana, já acordei antes do Sol nascer para trabalhar, hoje em dia tento ter um horário relativamente normal (acordar às 9). Como não tenho que deslocar-me para o trabalho, ganho esse tempo.

Trabalho mais horas do que devia porque estou quase sempre a trabalhar, mesmo que esteja a fazer outra coisa qualquer. Há sempre ideias para um novo site, para um artigo, para uma estratégia… tudo o que se passa na minha vida podia ser passado para a web em textos, fotos ou vídeos. Ontem experimentei uma aplicação fantástica para iPhone (Hipstamatic) e fiquei logo com vontade de fazer um site sobre o assunto. Mas não tenho tempo.

Quando é que decidistes criar um site sobre ganhar dinheiro na internet? Achas que é fácil ganhar dinheiro na internet? Eu uma vez escrevi um texto sobre ganhar dinheiro na internet e considerei que:
a) era a coisa mais fácil do mundo
b) morrem todos os dias africanos a tentarem emigrar para a Europa
c) o Zé está desempregado e nos últimos dias tem evitado passar à frente do supermercado lá do bairro, porque tem lá uma dívida e não tem dinheiro para pagá-la.

É fácil ganhar dinheiro na internet?

Se vires a data do primeiro post no Web Milionário e andares uma ou duas semanas para trás, descobres quando é que decidi criar um site sobre ganhar dinheiro online. Quando decido fazer algo na net, não perco tempo. Depois pode pegar ou não.

É fácil ganhar algum dinheiro na net. Estupidamente fácil mesmo, principalmente quando se sabe como se faz, como em tudo na vida!

Ganhar dinheiro exclusivamente na net, pagar a segurança social e os impostos e viver bem já não é fácil, é preciso ter muitos conhecimentos, renovar esses conhecimentos a toda a hora e trabalhar bastante. Mas que tipo de negócio por conta própria é que não precisa disto tudo? Comparativamente, é mais fácil (ou menos difícil) ganhar dinheiro na net do que fora dela.

WebMilionario

Conheces o meu artigo sobre SEO: A Razão Não Chega. É Preciso Coração. Achas que a maioria das pessoas falha por uma questão emocional? Afinal, quem quiser aprender, se ler o conteúdo do teu site, do site do Custódio e do Paulo Faustino, entre outros, terá conhecimento suficiente para ganhar dinheiro na internet. Concordas comigo? Terá esse conhecimento, certo? Então, porque razão é que a maioria que tenta, falha?

Mas afinal estamos a falar sobre mim ou sobre os teus artigos? :) (pausa para ir reler o artigo)

Acho que a maioria das pessoas falha por várias razões diferentes. Vou por a questão ao contrário, há uma minoria que tem sucesso porque consegue reunir uma série de factores: é preciso ter algumas bases, ter maturidade, ter capacidade para aprender tópicos mais avançados, ter (ou inventar) tempo para por as coisas em prática, ter tempo e mentalidade para falhar muitas vezes até acertar, ter capacidade para ser o gestor de si próprio, e acreditar sempre que se os outros conseguem, eu também consigo. Podes conseguir compensar deficiências num ou noutro factor, mas se falhares claramente em vários, vais pertencer à maioria que nunca chega a ganhar nada que se veja.

Quase toda a gente que nos lê tem potencial para ganhar uns bons trocos na net, mas (felizmente para nós) perseguir esse objectivo não é para todos. As pessoas são diferentes e esta actividade que me dá tanto gozo (a maior parte do tempo) pode ser um pesadelo para outro tipo de pessoa.

Por fim, nenhum blog, nem o conjunto de todos, dá o conhecimento necessário para ganhar muito dinheiro na net. Dão conhecimentos importantíssimos, dão orientações, por vezes dão
quase a papinha toda feita… mas o que faz a diferença é o que o leitor está disposto a dar de si para lá chegar.

Acabei de pesquisar [ganhar dinheiro] na internet e o site do Custódio está em primeiro lugar. O teu site está em terceiro. E o site do Paulo Faustino aparece em quinto. Nos comentários do blog do Pedro Dias, fiquei com a ideia que já houve uma disputa entre tu e o Custódio a propósito da compra de links. Concordas com os guidelines do Google a propósito da compra de links? É importante para ti disputares o primeiro lugar nesta palavra-chave?

O Custódio escreveu um artigo em que explicava como usava o Google para encontrar anunciantes AdWords e contacta-los directamente para lhes vender links nos seus sites de nicho, de forma a subirem nos resultados orgânicos e pouparem em AdWords. Eu escrevi um artigo onde disse que era brincar com o fogo estar a quebrar as guidelines do Google com o objectivo de retirar rendimentos ao próprio Google. E que divulgar isso num blog aconselhando os leitores a fazer o mesmo, era como brincar com o fogo regado em gasolina.

É a minha opinião e foi um pouco de “social bait” também, mas não lhe chamaria uma disputa. Compreendo o que ele fez, só achei arriscado demais aconselhar publicamente essa prática.

As guidelines do Google servem o próprio Google, como é natural. Qualquer webmaster deve sentir que tem o direito de vender links no seu site se quiser. E tem. O Google é que também tem o direito de o remover do seu motor de busca, se quiser. Acho que neste ponto o Google ainda tem que evoluir, era preferível que conseguisse identificar os links “não naturais” e simplesmente não lhes dar valor, do que obrigar os webmasters a usar o nofollow e penalizar quem não o faz.

Se essa palavra chave fosse essencial para mim, tinha registado um domínio com “dinheiro” no nome. É importante estar no top 5, mas duvido que alguma vez possa chegar ao primeiro lugar.

Acho que criastes uma expectativa interessante em termos de Marketing de mostrares a cara e apareceres num vídeo no teu blog. Achas que um blogger profissional está obrigado
a dar esse passo? Os blogger profissionais nos EUA já deram esse passo. Parece-me importante em termos de estabelecer uma relação mais próxima com os leitores do blog. O Custódio já deu esse passo. Estás preparado para aparecer em vídeo? Já vemos muito vídeo nos blogs. Achas que nos próximos anos, vamos começar a ver vídeo nos próprios sites das
empresas?

Acho que nos quase 2 anos de vida do Web Milionário já me consegui colocar ao nível dos bons blogs MMO em Portugal, destacando-me dos muitos medianos blogs de MMO, para não falar nos maus. Dar a cara e produzir vídeos é mais um passo nesse sentido. Neste nicho o que dá dinheiro é a credibilidade e a confiança, tudo o que pudermos fazer para trabalhar esses aspectos é importante.

Não acho que seja um passo obrigatório, o conteúdo de qualidade é suficiente para me prender a um blog. Mas juntar a esse conteúdo um bom template, uma boa imagem de marca, um site rápido, etc… são tudo factores que elevam o blog a outro nível. Os posts em vídeo são mais uma peça nesse puzzle.

Eu já vejo vídeo em todo o lado. Sempre que vou comprar algum produto, além de ler uma descrição, vejo um vídeo de demonstração. Já faz parte integrante da web.

No teu blog referes que tens 13000 visitantes mensais. O número pode já estar desactualizado. Mas, vais perder alguma privacidade com essa decisão. Há pessoas que se vão cruzar contigo na rua e reconhecer-te. Isso já deve ter acontecido com o Custódio. Uma vez expliquei a um cliente que poderia ser positivo ter um blog, pelas muitas razões que tu já sabes. E ele respondeu que escrever um blog era uma tarefa demasiado pessoal e que ele não estava disposto a abdicar da sua privacidade. E não implicava vídeo. Apenas escrever num blog.

Eu já sou reconhecido na rua de vez em quando, por uma audiência bastante maior que a do Web Milionário.

Visitei o teu mercado online e penso que tem pouco movimento. Mas, parece-me um fenómeno geral. No maistrafego, também não existe um movimento elevado no mercado de publicidade e até de venda de sites. O que é que poderia mudar este estado de coisas? Achas que a liberalização dos domínios .pt poderia ajudar? O que é que falta em Portugal para que o
mercado seja mais dinâmico?

É verdade que tem pouco movimento, infelizmente. Eu também não o promovi muito mas parece que há alguma falta de interesse. Somos um país de pequenas dimensões e isso não deve mudar tão cedo, mas além disso andamos sempre uns anos atrasados em relação ao que se faz lá fora.

Acho que falta dinheiro a circular no meio online em Portugal. Sem muitas empresas a investir a sério em publicidade online, não há mercado para muitos sites rentáveis, não há empresas criadas para explorar esse mercado e não há empreendedores na web. Esse mercado está a crescer, aos poucos, mesmo em tempo de crise. Eu continuo a trabalhar e a esperar por mais investimento nesta área.

Não sei se os domínios .pt liberalizados iam contribuir para um aumento de mercado. Hoje em dia já qualquer pessoa regista o seu .pt com algum trabalho e investimento. E sem trabalho nenhum e meia dúzia de euros regista um .com ou .net que pode ter imenso potencial. Não me parece que seja o nome a fazer a diferença.

Que objectivos é que tens para o teu blog para 2010? Estabelecestes objectivos concretos? Quais? No fim do ano, quantas visitas mensais queres ter? Que objectivo é que tens no Twitter? Promoves o teu blog no facebook? Que objectivos para o facebook? O Paulo Faustino está a vender um livro. O Custódio oferece serviços de consultoria? Estás a pensar oferecer conteúdo pago? Ou promover serviços para rentabilizar mais o teu blog?

Estão aqui os meus objectivos para o segundo ano de vida do blog.

Neste momento não estou muito preocupado com valores absolutos para visitantes ou seguidores. Quero continuar a crescer, apenas isso. Já estou numa posição confortável em que sou procurado por anunciantes, para dar o salto seguinte preciso de bastante tempo livre que tem sido difícil de encontrar.

O Facebook é uma parte importante de vários projectos que tenho, mas no Web Milionário não tem grande relevância. O tempo não dá para tudo.

Estou a pensar oferecer conteúdo pago sob várias formas. Um ebook quando tiver tempo para o fazer e uma comunidade privada que será a minha forma de prestar serviços de consultoria muito acessíveis, entre outras coisas. Está online, mas ainda não podem entrar

Promoves a NetAffiliation e ao mesmo tempo queixas-te do tempo que demoram a pagar? Como é que é? Vale a pena utilizar a NetAffiliation ou não? O único problema é o atraso nos pagamentos? Ou há ocasiões em que não pagam mesmo algumas comissões?

Promovo e ganho dinheiro com a NetAffiliation, portanto recomendo a quem quer ganhar também. Mas quando me tratam mal, reclamo. Quando não me pagam, queixo-me. E não escondo isso nos meus artigos só para gerar mais comissões, porque a palavra chave no blog tem que ser sempre a confiança. Eu só recomendo aquilo que testei e conto a minha experiência, com o que tem de bom e de mau.

Até agora só posso dizer que a NetAffiliation se atrasa bastante com os pagamentos de algumas campanhas específicas, supostamente por culpa dos anunciantes que não pagam. Se é só um atraso grande ou se não vão pagar mesmo… pergunta-me daqui a 20 anos.

Na tua entrevista com o NetFast surgiu a questão se era melhor apostar em projetos maiores ou criar muitos sites pequenos. A ideia até estava mais simplificada: apostar tudo num só site ou em centenas de sites mais pequenos. Que opinião é que tens sobre isto?

Cada webmaster deve seguir aquilo que funciona com ele e que lhe dá mais prazer. No meu caso, nem 8 nem 80. Não sou capaz de ficar preso a um só projecto, por maior e mais bem sucedido que ele seja. Vejo sempre isso como uma oportunidade para criar mais coisas e não consigo ficar parado. A fase de criação dá-me muito mais prazer do que a manutenção.

Também não me revejo no sistema de criar um site por semana e estar sempre a produzir “sites de lixo” para vencer pela quantidade. Gosto de ter projectos que conseguem alguma visibilidade e reconhecimento.

Para um webmaster semi-profissional, 3 ou 4 projectos poderá ser o ideal para manter o equilíbrio entre a qualidade e a diversidade.

Li um Tweet teu onde escrevestes “A trabalhar arduamente num site de desporto que vai dar que falar…”. Eu acho que um site que era capaz de dar que falar era um site sobre futebol criado por 4 ou 5 pessoas como tu. Um site criado através duma parceria dessas para concorrer com o maisfutebol por exemplo, esse seria um site de desporto que daria muito que falar. Nunca ponderastes criar projectos maiores em parceria? Eu vejo o Shoemoney e o John Chow a ajudarem-se mutuamente. Obviamente ganham comissões quando isso acontece. Mas, em Portugal, parece que existe pouca colaboração entre os bloggers profissionais? Mas, dá-me a tua perspectiva sobre este assunto.

Tem piada ires buscar esse assunto porque esse site era efectivamente uma parceria. Eu tenho um domínio muito bom nessa área, mas não tenho tempo para manter algo dessa envergadura, daí só poder ser fruto de uma parceria. Eu fiquei encarregue apenas da parte técnica.

Infelizmente quem se ofereceu para gerir o conteúdo e arranjar uma equipa de editores teve “mais olhos que barriga” e desistiu pouco tempo depois. Mas eu tenho o domínio e o site pronto, arranja a equipa para escrever e abrimos amanhã!

Li um artigo sobre as tuas viagens à Online Marketing Expo em Madrid e a OMExpo em Barcelona. Acho que ficou claro nesse artigo que gostas de viajar. Que cidades da Europa é que conheces? Qual a tua preferida? Qual é que escolhias para viver e porquê?

Conheço Madrid, Barcelona, Vigo, Mónaco, Roma, Milão, Veneza, Florença, Amsterdão, Lubjiana e Bruxelas. Tenho que ir a Londres e Paris brevemente, são falhas enormes.

Gosto bastante de Barcelona e adorei Florença. Mas também gosto muito de Lisboa, Cascais e Sintra, por isso acho que vou continuar por aqui.

És do Sporting, não és? O que achas desta temporada? Que mudanças? Ainda apoias o presidente do Sporting? E estás disposto a continuar a apoiar até quando? Achas que o Sporting deveria investir mais na equipa de futebol, mesmo que isso signifique um risco maior na gestão da situação económica do Sporting? Achas que o Costinha é o homem certo para o lugar de Director Desportivo?

É claro que sou do Sporting. Esta temporada foi (e vai continuar a ser) um pesadelo. Se ainda apoio o presidente? Isso implica que o apoiei, o que não é verdade. Apoio o Sporting, e por arrasto o seu presidente, mas não votei nele nem lhe reconheço competência neste ano de gestão de clube.

Acho que o Sporting tem que lutar com as mesmas armas que os seus rivais e isso implica gastar mais do que pode. Sempre foi assim e as coisas funcionavam. Desde que vieram os senhores das finanças, começaram a vender activos e a usar os miúdos da academia como principal fonte de jogadores, em nome da saúde financeira. Mas o passivo tornou-se muito maior! É algo que me ultrapassa. Cada vez mais tenho vontade de me candidatar a um cargo no clube para perceber o que andam a fazer ao Sporting.

O Sá Pinto podia ter sido o homem certo, mas foi o que se viu. Agora o Costinha já tem o seu caso também. Cada vez que embalam com umas vitórias, dão um tiro no pé. Assim nem precisamos de adversários.

Encontrei este tweet teu: “O Avatar deve ser o filme com mais clichés de sempre!” Não gostastes do filme? Em concreto, o que é que te desagradou? Achas que o filme muda alguma coisa na história do cinema com esta nova tecnologia 3D? Atrai-te a ideia de visitares, neste caso através desta nova tecnologia, um mundo extraterreste, muito diferente do nosso?

Gostei da primeira hora de filme, como entretenimento puro. Depois comecei a achar a história demasiado previsível e os diálogos demasiado maus. Na última meia hora já só pedia que terminasse, por amor de Deus! A tecnologia é engraçada, mas tal como um jogo não são só os gráficos, um filme não é só o 3D. Eu não sentia necessidade de dizer ao mundo que não gostei do filme, se não houvesse pessoas com a necessidade de afirmar que é o melhor filme de sempre. Isso choca-me.

Atrai-me a ideia de visitar um mundo novo em 3D, mas atrai-me mais uma história bem contada.

Então, este é o animal da moda? Tens alguma animal de estimação ou já tivestes?

Esse foi uma brincadeira só para testar o poder dos blogs no Sapo, que é demasiado, na minha opinião. Já tive alguns animais de estimação, neste momento tenho uma cadela, a Starla.

Qual é o maior desafio que a humanidade enfrenta hoje, em 2010? O problema do clima, do crescimento sustentável, da economia, do terrorismo, da guerra no Médio Oriente, da falta de água? De que forma é que tu, vais ajudar a humanidade a vencer esse desafio?

Acho que o maior problema é o facto de a população mundial crescer desmesuradamente, enquanto os recursos do planeta diminuem. Além disso a esperança de vida aumenta, há cada vez mais população inactiva para sustentar. A solução tem passado por manter a maior parte da humanidade na pobreza mas há potências como a China, a Índia e o Brasil a conquistar mais poder económico e toda essa gente vai querer ter o seu automóvel, o LCD e a PlayStation.

Eu sinceramente não sei como vencer desafios dessa dimensão. A minha parte passa por ter criado o meu próprio emprego e gerar riqueza. Acho que se a humanidade não encontrar soluções, a natureza vai resolver o problema por nós, com um reboot ao sistema.

És religioso? Acreditas em Deus? O que é que acontece quando morremos? Acreditas que existem valores morais absolutos? Ou achas que a moral é decidida por cada comunidade, a
cada tempo, pela regra da maioria, 50% mais 1 voto?

Não sou religioso e não faço ideia se existe algo a que possamos chamar Deus. Quando morremos podemos ser enterrados ou cremados, de resto não tenho a certeza.

Se os valores morais são absolutos ou ditados pela comunidade é uma boa questão, prometo que vou pensar nela e um dia podemos debate-la enquanto bebemos umas imperiais e comemos
tremoços, porque isso dá pano para mangas.

Boa sorte para o WebMaster.pt e um abraço para todos os leitores.

Be Sociable, Share!

23 Comentários

  1. over

    Parabéns pela entrevista.
    A minha pergunta é a seguinte, como declaram vocês perante o estado estes ganhos online?
    Recibos verdes?? Passam recibo ao google, netafiliation, zanox, etc???

    • Antes de mais, bem vindo. Obrigado pelo teu comentário.

      Em relação à tua pergunta, tens que perguntar ao Web Milionário no blog dele. Mas, esta parte da entrevista parece ser uma referência a esse assunto: "Aquilo para que ninguém nos prepara na universidade é para o mercado de trabalho, para as burocracias que envolve, para criar a nossa própria empresa, etc…". Mas, pretendes ganhar dinheiro online, com venda de publicidade e comissões dos programas de afiliados? Sugiro que contactes um contabilista ou esclareças as tuas dúvidas na repartição de finanças a que pertence a tua residência.

      Em relação ao blog WebMaster.pt, não tem receitas. Não tem publicidade. Não tem links de programas de afiliados. Tem apenas conteúdo que poderá ser útil para muitos membros de nossa comunidade. E é propriedade duma sociedade comercial por quotas.

    • Podes passar recibos verdes ou podes criar uma empresa unipessoal e passar facturas. Em qualquer dos casos, convém teres contabilista, a partir do momento em que decides viver do teu próprio negócio.

  2. Parabéns pela entrevista,quase que ele conta a vida toda!!rsrsrs,só faltou perguntar quanto ele ganha!rsrs
    Aconpanho o webmilionario a algum tempo,sobre criar um site de esporte só se ele vim aqui no brasil para aprender o que é futebol!!kkkkkk brincadeira…
    Ele acha Portugal atrasada com relação aos outros paises da europa imagine o brasil aqui na America do Sul.

    Abraço e aproveito para asinar a newsletter aqui!

    • Olá Rafael! Obrigado pelo teu comentário. Bem vindo ao blog. Foi um prazer publicar esta entrevista e eu pelo menos fiquei a conhecer melhor o Web Milionário. Um Abraço Rui Soares

  3. Boa entrevista! Continuação de bom trabalho Rui ;)

    Cumps,
    Celso

  4. WM,

    Porque não escreves no teu blog um post a explicar como criaste a tua empresa unipessoal ? Seria interessante e ao mesmo tempo útil para muitos que querem dar esse importante passo.

    • Olá! Obrigado pelo teu comentário. É um bom tema para um artigo. Se ninguém entretanto escrever, daqui a 2 ou 3 semanas, escrevo e informo aqui nos comentários. Só não posso escrever agora, porque tenho outros artigos pendentes. E é um assunto que tenho que investigar. Acho que seria mais interessante analisar o que se deve fazer em termos fiscais, sem a constituição da sociedade unipessoal. Os custos fiscais e outros duma sociedade comercial para rendimentos inferiores a 1000 Eur mensais são penalizadores. Só compensa numa perspectiva de crescimento. Há a limitação da responsabilidade ao capital social. Mas, quer quiser limitar a responsabilidade também pode contratar um seguro. Um Abraço Rui

    • É um tema que eu acho aborrecido e sobre o qual eu sei aquilo que fui obrigado a saber, mas não domino o suficiente para estar a escrever sobre o assunto. É claro que comparado com quem nunca se meteu nisso, sei muito mais, mas não tenho confiança para publicar guias. Já paguei muitas multas por não saber certas coisas ou deixar passar, não sou a melhor pessoa para dar lições :D

  5. over

    Um bom artigo sobre o assunto era sempre bem-vindo :))

  6. Isto da contabilidade, tem mesmo muito que se lhe diga. Falo com experiência de 10 anos na área e quase que se pode dizer cada caso é um caso. Desde logo a começar pelo inicio de actividade, se deve ou não ir para o regime do IVA( no caso de empresário em nome individual(ENI)), qual a estimativa de facturação, vai fazer compras ou prestar serviços no estrangeiro, etc, etc. Sou um bocado suspeito para falar, mas aconselho todos os que querem iniciar uma actividade por conta própria a contactarem um contabilista e ponderem bem os pós e os contras entre uma sociedade e ENI.
    Por fim dou-vos o meu conselho, e vale o que vale, Para uma facturação até 17.000 – 20.000, compensa estar como ENI sem escrita organizada, a partir daí convém optar por uma sociedade ou por ser ENI com escrita organizada.
    Teríamos aqui matéria para dar e vender, isto sem falar da segurança social, mas todos os que tiverem duvidas podem contactar-me. Aliás este artigo deu-me uma grande ideia, que é criar um blog sobre o tema.
    Jleao

    • Olá! Um blog sobre contabilidade é uma ideia interessante. Estuda as palavras-chave e a competição. Se não avançares, eu vou escrever o artigo à mesma. A perspectiva do artigo que agendo para daqui a algumas semanas é a do iniciante que criou alguns sites e começou a receber algum dinheiro de AdSense, venda de publicidade e comissões dos sites de afiliados. Portanto, situações onde, no início de actividade, deve optar pelo regime de isenção de IVA por prever uma facturação anual inferior a 10000 Eur. Se escrever o artigo, comenta aqui por favor com um link para o artigo. Um Abraço e uma Páscoa Feliz! Rui Soares

  7. Sylvio Mayort

    Olá ! Moro aqui no Brasil e sou iniciante, estou apredendo e queria criar um blog, na verdade já criei no wordpress, mas ñ sei nada de html e queria customizar o template, meu nincho de mercado será ganhar dinheiro na internet. Você faz personalização de wordpress e quanto custaria esse serviço para personalizar meu template?

    Aguardo.

  8. João Henrique

    Olá. Alguém poderia me apresentar orçamento para elaboração de uma homepage, indicando algumas como exemplo?… E o custo?

  9. Gostei muito da entrevista! Parabéns

    Cumprimentos
    António Manuel

  10. Bom Trabalho! Gostei muito desta entrevista.

  11. Muito boa entrevista! Achei este blog através de outro post, e acabei lendo este aqui pois aqui no Brasil as coisas são muito parecidas: as universidades são muito boas para te formar tecnicamente, principalmente o curso de ciências da computação, mas infelizmente, não te preparam para ser um empreendedor. 

    Boa entrevista! É sempre ótimo poder acompanhar nosso amigos lusos!  Grande abraço!

  12. Muito legal! Encontrei este artigo pela busca no google.

  13. Eu nunca percebi porque é que neste tema existem duvidas. So se houverem duvidas ao tipo de trabalho (produto? servico?), mas para mim é facil: é um servico. tanto em Adsense como Afiliados estamos a prestar um servico, ou seja, estamos a gerar leads. Depois, temos de receber como recebemos de qualquer outra empresa, o que acontece é que muitas das empresas que nos pagam estao no estrangeiro. Apenas temos de verificar se os recibos verdes servem para facturar empresas no estrangeiro e servem, pelo menos na Europa.
    Para 600/mes eu diria que mais vale recibos, principalmente se tiveres outro emprego. Ter uma empresa tem custos, mas tem outros beneficios em termos de descontos e de poderes colocar muitos custos.
    O problema é que os rendimentos veem muito do estrangeiro e a maioria da malta nao declara, mas se for uma empresa em portugal eles farao registos e as financas podem cruzar dados ;)

  14. Também concordo que a esse nível não vale a pena criar uma empresa, até porque vais precisar de outra fonte de rendimento para viver bem.

    Com uma empresa tens de pagar mensalmente ao contabilista, o teu ordenado e a segurança social. 600 euros nem chegam para isto, quanto mais para o resto.

  15. Olá Estevão! Obrigado pelo teu comentário. Concordo que para um nível de rendimento de 600 Eur / mês não compensa criar uma empresa. Seria colocar os 600 Eur num buraco negro :) Um Abraço Rui Soares

Participa! Comenta...